Fechar [X]
 

 ESPETÁCULO TEATRAL

 

PERDIDOS

Ano 2008

O espetáculo teatral perdidos estreou em 08/01/2008 no centro cultural plataforma, no bairro de plataforma, salvador-ba. Sua estréia teve o apoio do governo do estado da Bahia, através de sua secretaria de cultura.

“PERDIDOS” é uma montagem inspirada no universo de Plínio Marcos, que perpassa pela dramaturgia de Nelson Rodrigues e pela escola minimalista do absurdo. Esta montagem desperta no espectador questionamentos sobre a realidade que o cerca, uma realidade sem camuflagens, onde a necessidade de sobrevivência dita as regras do jogo. O que se tem no palco é o retrato do submundo da marginalidade, da exclusão social e da desvalorização dos sonhos individuais, sendo a esperança a todo instante crucificada. Não é errado dizer que “PERDIDOS” é uma peça de caráter social e poético.

São cinco personagens que duelam de forma desigual, movidos pela inveja, pelo desejo e pela ambição. São personagens que representam as camadas sociais em suas diferentes instâncias, desde o órfão criado sem pais e sem regras, ao delegado detentor do “poder” e da “verdade”. Consideramos um achado poético a criação da personagem “mãe de Tonho”, uma habitante do sertão nordestino, presente em sua lembrança nos momentos de maior dificuldade. Unidos, estes universos se mostram paralelos, e postos frente-a-frente se completam e simbolizam o tipo de mundo que construímos e ajudamos a manter, seja por atitudes descabidas, seja por mera apatia.

A trama começa com um homicídio, no escuro de um quarto de albergue. À luz, nada se revela tão claramente. Após matar Paco, Tonho é preso, e sob tortura tenta descrever, sob seu ponto de vista, os motivos que o levaram a cometer o furto e o assassinato. Cabe ao espectador montar as peças deste quebra-cabeça e tentar descobrir “a verdade”, mas não sem antes responder à seguinte questão: de quem é a culpa? Isto se ele for capaz de responder a uma outra: o que é a culpa?

Esta é uma obra dirigida numa ótica cinematográfica, contada em fragmentos, num depoimento onde o passado e o presente se confundem cabendo ao espectador desvendar a verdade...

Assista ao compacto da obra

 

CURIOSIDADE

A peça teve sua primeira versão estreada em 2003, sob orientação dos professores da UFBA Érico José e Ewald Hackler, e atuação de Bernardo Del´Rey e Luis de Oliveira.

FICHA

Direção: Natan Duarte

Assistente: Eduardo Nunes e Cristiane Araújo

Orientação: Érico José

Elenco: Iasmine Menezes, Fernando Campos, Zizi Moreno, Alec Saramago, Natan Duarte